Brasil Dairy Trends 2020

101 digestibilidade e bem-estar Brasil DairyTrends 2020 a adição de prebióticos e fibras devido às etapas caracte- rísticas de obtenção. Nesses queijos fundidos e em outros produtos lácteos, como manteigas, sorvetes, doce de leite, molhos à base de leite e derivados, a adição de prebióticos e fibras objetiva também auxiliar na redução de gordura. Para os sorvetes, iogurtes e doces de leite, a adição de certos tipos de prebióticos e fibras como inulinas, fruto-oligossacarídeos e polidextrose, além de representar benefícios à saúde, pode auxiliar na redução da quantidade de açúcares adicionados à formulação. Quanto aos produtos lácteos desidratados, a categoria de leites infantis é a que oferece maior variedade de tipos de produtos com adição de probióticos e prebióticos. Contudo, a tendência para essa categoria de produtos lácteos já atinge os similares para adultos com adição, principalmen- te, de fibras. Na categoria de leites fluidos, já existem exem- plos de produtos com presença de fibras. Os consumidores ao redor do mundo continuam a apreciar iogurtes e outras variedades de produtos lácteos fermenta- dos. Mais da metade (53%) dos consumidores pesquisados no trabalho “DSM’s Global Insight Series: Patterns in Yogurt Consumption” disse que consome mais iogurte atualmente do que há três anos. Para os consumidores do Brasil, esse índice foi de 61% e para os chineses, 67%. As pessoas que responderam aos questionários no Brasil (57%) e nos Estados Unidos (59%) colocaram que consomem iogurte no café da manhã. Os desenvolvedores de produtos responderam a isso oferecendo mais embalagens com porções individuais e com grãos ou cereiais como op ções de refeição mais completa. Por outro lado, os entrevistados franceses colocaram que conso- mem mais iogurtes como sobremesas. Na pesquisa apresen- tada por Nachay (2015), os consumidores foram entrevista- dos em seis países: Brasil, China, França, Polônia, Turquia e Estados Unidos. Quarenta e nove por cento dos chineses preferiram os iogurtes “de beber”, o que é mais expressivo do que os outros mercados. De modo geral, a maioria dos entre- vistados (66%) disse que consome iogurte apenas, enquanto perto de um terço o consome com frutas ou cereais. Outros pontos importantes desse estudo que podem interessar às empresas que desenvolvem produtos são que: (a) o iogurte probiótico é mais popular na China do que nos outros países estudados; (b) na Polônia há preferência por iogurtes aroma- tizados; e (c) 36% dos entrevistados americanos consomem mais os iogurtes do tipo grego. Por sua vez, Hennessy (2014) colocou que 20% dos ame- ricanos responderam, em estudo da Mintel, que estão incorpo- rando probióticos regularmente na dieta, enquanto 29% afir- maram que estão modificando suas dietas para consumir mais iogurte e alimentos ricos em fibras, para melhor gerenciamento da saúde digestória. Além da inclusão de iogurte na dieta, os consumidores têm se esforçado para se alimentar de maneira mais saudável de modo geral, incluindo também frutas, ve- getais e alimentos livres de glúten, para prevenir doenças do sistema digestório. Esse estudo chamado “Mintel’s Yogurt and Yogurt Drinks–US, August 2013 “ também verificou que 84% dos consumidores de iogurte concordam que o consumo desse produto é um bom modo de manter a saúde digestiva. Ainda sobre hábitos atuais dos consumidores e tendências de consumo, Hensel et al. (2014) compilaram os resultados de pesquisas de mercado apresentadas por Ann Williams, da Innova Market Insights, na conferência “A Healthy Snack Re- volution”, do IFT Wellness 14 Conference. As tendências de consumo têm apontado mudanças no conceito dos lanches, antes entendidos como contendo apenas batatas fritas e bis- coitos ou bolachas ( cookies ). Nos dias de hoje, os consumido- res entendem que “lanche” deve conter sanduíches, iogurtes, nozes, frutas secas, sushi , biscoitos do tipo crackers e quei- jos, entre outros itens, devendo-se notar ainda que tais produ- tos podem, também, servir como refeições principais. Além disso, as preferências dos consumidores pelos itens dos lan- ches são determinadas não apenas pelo horário do dia, mas pelo dia da semana. A conferencista desse evento colocou que, no início da segunda-feira, muitas pessoas pensam “Vou me alimentar melhor” e, com o avançar do dia ou dos dias da semana, a indulgência pode mudar o propósito inicial. Barbara Katz, presidente da Health Focus International, também na IFT Wellness 14 Conference identificou três opor- tunidades-chave para as empresas na área de lanches: (1) pequenas refeições; (2) lanches com benefícios adicionais ( better-for-you ); e (3) lanches tradicionais que atendem à in- dulgência. Para lanches que servem como pequenas refei- ções, a prioridade é satisfazer rapidamente a fome usando, para tanto, ingredientes que conferem saciedade, como grãos integrais. Os lanches com benefícios adicionais ( better-for -you ) devem incorporar ingredientes como proteínas e fibras. Já nos lanches tradicionais que atendem à indulgência devem estar presentes ingredientes com apelo premium e natural .

RkJQdWJsaXNoZXIy MTgxNA==